Será que não é hora de amadurecer? Aprenda a amar e ser amado

amar e ser amado

The greatest thing
You will ever learn
Is just to love
And be loved in return

Parece que muita gente já descobriu. Eden Ahbez disse nesta letra ali em cima, sucesso no filme Moulin Rouge. Herbert Viana também cantou que “saber amar é saber deixar alguém te amar”. São tantas outras músicas e poemas sugerindo uma “ajudinha” para o amor… e parece que mesmo assim é difícil entender.

A gente cresce ouvindo muita besteira dos adultos, e uma delas é o velho consolo “quem for gostar de você deve gostar exatamente de quem você é”. Depois crescemos e nossas amigas falam que o cara que deu o fora é um babaca por não querer uma pessoa tão maravilhosa.  Se você vêm escutando há anos da família e amigos que é uma pessoa maravilhosa, mas ainda está solteiro(a) mesmo querendo um relacionamento, será que não é o caso de pensar que, embora você tenha muito a oferecer, ainda não aprender a ser amado?

Porque, sim, SER amado exige quase tanto esforço quanto amar.

Já não lembro mais onde eu vi, se em filme ou livro, uma frase incrível: “Por que é tão difícil te amar? Me apaixonar foi tão fácil…” Eu já senti isso, e sei que você também. Quando a gente ama e se magoa, esta é a primeira sensação que aparece. Esta é a parte fácil. Difícil mesmo é apontarmos a análise para a própria barriga e ver como a gente dificulta as coisas para o outro.

Nós já sabemos enumerar o que é o companheiro perfeito também sabemos que a nossa dignidade e bem estar está acima de tudo e todos, mas isto não é desculpa para tratar o outro da maneira que VOCÊ decidir que é melhor para ele, e depois ainda achar ruim quando as coisas não derem certo.

Ninguém disse que o amor precisa ser fácil para ser verdadeiro. Nem fácil, nem simples nem rápido. Se a pessoa vale a pena, ou parece valer a pena, temos que nos dedicar a ela como a um “case” no trabalho. Ou ainda, se você gostaria que sua vida amorosa fosse totalmente diferente, que tal começar a mudança de dentro para fora?

Veja algumas sugestões:

Você já sentiu que sua vida dá voltas e você acaba sempre na mesma situação, mudando só personagens (ou nem isso)? Não existe tanta coincidência no mundo. Você é que está criando as mesmas situações, sem notar, ano após ano da sua vida, e não adianta reclamar. Vai continuar assim até você mudar o SEU comportamento.

Você quase alcança o sucesso no trabalho e no amor, mas sempre morre na praia?
Você sempre é traído(a) por namorado ou parceiro de negócios?
Quando você acha que está tudo indo bem leva um fora?

Vamos primeiro nos ater a relacionamentos:

1- Vale a pena começar a amar você?

Em um relacionamento normal (não vamos considerar os casos patológicos) os lados têm de sentirem-se valorizados, desejados e acalentados. Ao iniciar um relacionamento, ou ainda ao sair com a pessoa pela primeira vez, antes de medir se você está RECEBENDO tudo isso, olhe bem para seu companheiro. Parecem dicas de revista feminina, mas funciona: ouça o que ele tem a dizer, elogie, seja afetuosa.

Ser arrogante, manter a guarda o tempo todo alta, só falar de si mesma, fazer brincadeirinhas com a aparência ou intelecto do outro já excluem as pessoas normais, mantendo só os problemáticos perto de você. Estas dicas valem para homens e mulheres. Cada um manifesta de uma maneira, mas ambos possuem as mesmas necessidades primárias.

Depois você vai lamentar por mais um babaca não ter ligado no dia seguinte, mas será que você teve a preocupação de fazer ele se sentir bem ao seu lado? Ou queria tanto impressionar, mostrar como você é incrível que não parou para tentar descobrir o que ELE buscava em uma companheira?

2- Vale a pena continuar amando você, depois de começar?

Amar uma pessoa não obriga ela a ser perfeita. Por mais que você ache ela perfeita, ela ainda é humana e vai dar mancada. Um dia maior, outro menor, mas vai. O equilíbrio mais difícil a ser encontrado no mundo é saber o que perdoar com uma conversa, com o que dar barraco, e quando ignorar a situação. Precisamos preservar a nossa dignidade, mas onde isso começa a interferir na dignidade do outro?

A pessoa amada pode ter comportamentos que você não aprova, e aí cabe refletir: isso incomoda o suficiente para eu interferir na rotina dela? Se sim, vem a parte importante: Será que eu tenho feito por ela o suficiente para que ela ache que vale a pena mudar por mim?

Convenhamos: se as coisas já não vão muito bem e você ainda insiste em mudar uma rotina que até agora vem dando certo para o outro, suas chances de começar uma guerra são grandes. Exigir uma mudança de hábitos no meio da crise é o pior que você pode fazer. Tente primeiro refletir sobre o que VOCÊ faz que irrita a outra pessoa, e tente mudar, mesmo que isso irrite você ou que você nem concorde com a mudança. Faça isso por ela. Não precisa nem falar nada depois, ela vai notar. E talvez a mudança que você pensava em exigir venha espontaneamente. Parece bobagem, mas funciona como mágica!

3- O outro tem tantos defeitos, vale a pena amar ele?

Existe o que pode ser mudado, como o comportamento, e existem fatos que… não são “ideais”. A família dele é insuportável, a sogra se mete o tempo todo, ele tem uma ex que é uma maníaca e filhos demandam muitas horas de atenção.

Família não pode ser alterada e não deve ser ignorada (não o tempo todo), às vezes você vai TER que conviver. Em primeiro lugar, reflita sobre o assunto no isolamento do seu lar. Você está disposta a encarar esta situação? Ele parece preocupar-se com o seu bem estar quando estão junto aos parentes dele?

Se sim, facilite para o outro. Você já aceitou, então não fique reclamando o tempo todo. As vezes você vai precisar engolir os seus sapos, e pronto. A vida é dura. Não precisa ficar o tempo todo repetindo que detesta os parentes dele. Por mais que ele diga que também detesta, parente é parente, cada um só pode falar mal dos seus.

Se os parentes, filhos e apêncides são seus, facilite para quem resolveu aceitar essa gente chata que vem de brinde com você. Você quer que sua mãe conheça seu namorado, ou que seu filho fique amigo da sua namorada, ou ainda que sua ex e sua atual sejam melhores amigas. Sonhar não custa nada. Se abraçar a família toda é parte essencial para ter um relacionamento com você, deixe isso claro para a pessoa saber onde está se metendo e poder todas a decisão que preferir. De preferência deixe o espaço aberto para seu companheiro(a) entrar na sua família na velocidade dele, com bom senso das duas partes e consideração à TODOS os envolvidos.

4- Facilite a vida de quem quer gostar de você

Você já sabe quais são suas características e defeitos. Sua mãe pode achar todas lindas, mas quando entrar em um relacionamento algumas coisas terão que estar sob controle.

Agressividade: sangue quente acaba machucando quem está por perto, é fato. Não é porque você está com vontade de gritar, humilhar e xingar que isto é aceitável. Algumas pessoas são mais pacíficas e outras menos, mas todas concordam que palavras podem machucar, e muito. Cuidado com a ironia.

Agressão física, então não preciso nem falar. Vá fazer um esporte de contato e deixe seu amor em paz.

Passividade: por outro lado, se você é uma mosca morta, faça um esforço. Demonstre alguma opinião, ajude a escolher o restaurante, diga do que gosta e do que não. Ser um peso morto não vai ajudar você em nada. Tudo bem você gostar de isolamento e ficar horas sem falar, apenas deixe claro que você não está fazendo isso para punir ou irritar o outro.

Vaidade: a regra de ouro é sempre estar igual ou melhor do que o dia em que vocês se conheceram. Claro que depois de 20 anos algumas mudanças ocorrerão, mas mantenha sua vaidade e auto estima em dia, sem criar pança de cerveja ou deixar a depilação vencer até virar tudo mato. Mantenha a mente sempre esperta e desenvolva algum interesse (ainda que mínimo) pelos assuntos do outro, para poder escutar – sem boiar – o que ela tem a dizer sobre livros, futebol, gatos, culinária, maquiagem, vinho, jiu-jitsu, jardinagem, carros, jazz, etc.

Atenção: ouça o que o outro tem a dizer e leve a sério. Por mais que você ache tudo uma babaquice, lembre que é importante para a pessoa que você ama. Preste atenção no que ele tem a dizer sobre você e reflita se não é hora de baixar a guarda e fazer uma reavaliação sobre o que você tem cobrado do outro e o que tem oferecido em troca. Nunca faça expressões de desdém, ria ou seja condescendente com uma pessoa que está tentando falar a sério com você. Isto fere tanto que às vezes não tem volta. Se você acha que o parceiro merece ser tratado como criança e suas opiniões não precisam ser levadas em conta, talvez o caso patológico da relação seja você.

5- Seja grato pelo amor

Ninguém é obrigado a amar, e mesmo assim esta pessoa escolheu você. Tente ser o que ela espera de você. Ela naturalmente vai querer fazer o mesmo, mas dê sem pedir nada em troca. Simplesmente ame, sem exigir retribuição.

Quando uma briga acabar, deixe a mágoa para trás, não reviva todo passado a cada nova briga. Aprenda a deixar passar, a acabar, a engolir os seus sapos sem fazer cara feira, em prol da saúde do relacionamento. Se a outra pessoa faz o mesmo por você ela vale a pena. Se não faz, converse. Diga que precisa da ajuda dela para continuar amando. Envie este texto.

Se mesmo assim você sente que está remando sozinha neste barco, enquanto a outra pessoa só aprecia a paisagem e reclama do calor, amiga, é hora de buscar um novo remador.

É um longo caminho até conseguirmos mudar nossa atitude com relacionamentos. As vezes é sofrido e precisamos rever boa parte do que achávamos que estava indo bem, além de domar pedaços inteiros da nossa personalidade, que até então corriam soltos por aí. Mas depois que conseguimos entender como os outros nos vêem e como nossas atitudes têm consequências muito maiores do que esperávamos, nossa vida inteira muda. No trabalho, negócios, família e amigos.

Isto é amadurecer. Talvez seja hora de você pensar a respeito.

Boa sorte!

    • Maah
    • 20 de Dezembro, 2010

    Parece que esse texto foi feito pra mim, sinto essa necessidade de mudar, de mudança, mas não sei por onde começar; e algumas vezes ainda, parece mais forte que eu. Talvez seja pelo que já passei, talvez vim assim “do berço”.
    Sei que necessito dessa mudança, estou entendendo que o modo como me comporto não vai (mais) bem, principalmente pelo fato que quero seguir em frente com a minha relação atual -que apenas começou, mas que estou gostando muito-.

    • Que bom que você quer melhorar! Este é o primeiro passo.
      Peça ajuda a seu parceiro para entender onde precisa mudar. Refletir sobre o que deu errado nos relacionamentos passados também ajuda muito a entender o presente. Se puder, fale com seus ex e pergunte o que menos gostavam em voce. É duro, mas revelador!

      boa sorte!

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: